Home Sem categoria Complexo de Doenças Respiratórias de Suínos ,ocorre com mais frequência nas fases de crescimento e terminação do animal.

Complexo de Doenças Respiratórias de Suínos ,ocorre com mais frequência nas fases de crescimento e terminação do animal.

0

O Complexo de Doenças Respiratórias de Suínos (CDRS) provoca grandes perdas na suinocultura. “É considerado um complexo porque envolve a interação de mais de um agente infeccioso, que pode ser de origem bacteriana e viral”, explica o gerente técnico de suínos da Vetoquinol Saúde Animal, André Buzato. Segundo ele, o CDRS é frequente nas fases de crescimento e terminação dos suínos.

Há três doenças em suínos bastante comuns causadas por agentes bacterianos. Uma delas é a pleuropneumonia. “A bactéria é a Actinobacillus pleuropneumoniae. Os sintomas são febre alta, apatia, dificuldade para respirar e tosse profunda. Os animais podem expelir sangue pelas narinas e boca. Na grande maioria dos casos esta enfermidade causa alta mortalidade”, detalha Buzato.

A doença de Glässer, também comum, tem como agente bacteriano o Haemophilus parasuis. Causa perda do apetite, que leva a quadro de anorexia, além de febre e apatia. O animal tosse, tem dificuldade respiratória, também pode apresentar claudicação e sintomatologia nervosa, como tremores. “A doença provoca a inflamação das serosas, podendo ocasionar pleurite, pericardite, peritonite, artrite e meningite em várias combinações. A Doença de Glässer é responsável por alta morbidade de leitões, elevado número de refugos entre os sobreviventes e depreciação das carcaças dos animais afetados”, explica o especialista da Vetoquinol.

Já a pausteurelose afeta os suínos pela ação da bactéria Pasteurella multocida. Os animais apresentam broncopneumonia, pleurite e dificuldade respiratória. “Este quadro de pneumonia causa alta morbidade, e se os animais não forem tratados com algum antibiótico de forma eficaz, temos o aumento da mortalidade”, informa André Buzato.

Manejo e biossegurança

Fatores de risco devem ser considerados na prevenção das doenças respiratórias. Oscilações constantes de temperatura nas granjas, manejo deficiente de cortinas, presença de animais de várias origens no mesmo espaço, superlotação, falta de limpeza e desinfecção propiciam o surgimento do CDRS.

O tratamento de doenças causadas por bactérias é feito com antibióticos. A Vetoquinol, uma das 10 maiores do mundo em saúde animal, conta em seu portfólio com Forcyl, medicamento injetável para o tratamento de patologias relacionadas ao CDRS.

Trata-se de um antibiótico injetável que tem a marbofloxacina como principio ativo. O modo de ação combina alta concentração plasmática e rápida ação em uma única dose, essencial para evitar o fortalecimento do agente bacteriano. Além disso, proporciona rápido retorno do animal ao processo produtivo. “O produto atinge o máximo de concentração no organismo do animal em apenas 55 minutos e pode ser utilizado com segurança até nove dias antes do abate”, informa André Buzato. “É, portanto, uma solução rápida, que auxilia a diminuir perdas produtivas e financeiras nas propriedades”, conclui o gerente técnico de suínos da Vetoquinol.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here