Insetos podem ser treinados para proteger culturas.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Keele e pela KU Leuven, está treinando insetos para proteger as culturas. De acordo com Islam Sobhy e Bart Lievens, que trabalham nas respectivas universidades, enquanto buscam alimentos ou hospedeiros, os parasitóides geralmente dependem de sinais visuais e olfativos. 

Um dos maiores desafios contemporâneos da humanidade é salvaguardar a segurança alimentar das gerações atuais e futuras. Uma demanda crescente e um aumento constante da população mundial – quase 10 bilhões de pessoas devem habitar a Terra até 2050 – exigem que a produção de alimentos por área de terra cultivada tenha que aumentar drasticamente. A expansão para terras atualmente não cultivadas não é viável, principalmente considerando as pressões das mudanças climáticas. 

“Se queremos ajudar os parasitóides no campo, a fim de aumentar seu número e, portanto, ajudá-los a controlar pragas, precisamos saber mais sobre como as pistas microbianas produzidas pelas leveduras de néctar influenciam o aprendizado das preferências florais dos parasitóides. É isso que pretendemos alcançar em um experimento recente”, dizem. 

 Eles afirmaram que as descobertas “podem ter implicações práticas para melhorar a eficácia dos parasitóides a serem usados em programas de controle biológico contra pulgões. Eles promovem a possibilidade de que os parasitóides, devido a essa alta capacidade de aprendizado, possam ser treinados em massa antes da liberação no campo para induzir uma resposta específica às soluções de açúcar fermentadas por levedura

publicado
Categorizado como Sem categoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *